Fortes chuvas deixam ao menos 38 mortos e causam destruição em Petrópolis - Reuters News Agency

Reuters News

Fortes chuvas deixam ao menos 38 mortos e causam destruição em Petrópolis

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) – Um temporal deixou ao menos 38 mortos e provocou enorme destruição na cidade de Petrópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro, informaram autoridades nesta quarta-feira, enquanto equipes de resgate seguem as buscas por vários desaparecidos em meio a um cenário “quase de guerra”.

As ruas da cidade foram inundadas pela chuva forte, que provocou desabamentos e deslizamentos de terra que resultaram na morte de pessoas soterradas. Até 80 casas foram atingidas por barreiras e deslizamentos no Morro da Oficina, um dos locais mais críticos no momento, de acordo com as autoridades.

Várias equipes do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e prefeitura estão trabalhando no local. De acordo com parentes e amigos, haveria muitas pessoas soterradas na região.

“Foi um tragédia de uma hora para outra e uma chuva raramente vista. Uma quantidade absurda de chuva e não teve como salvar todas as pessoas e vidas”, disse a jornalistas o governador do Rio de Janeiro, Claúdio Castro, no local da tragédia.

“A situação é quase de guerra em Petrópolis. Carro pendurado em postes, carros revirados, muita lama e água ainda”, acrescentou.

Segundo as autoridades, o número de mortos pode subir nas próximas horas. A prefeitura decretou luto oficial de três dias, uma vez que a cidade está praticamente parada devido aos estragos.

Desabrigados e desalojados estão sendo levados para escolas, pontos de apoio e de acolhimento. Mais de 300 pessoas tiveram que deixar suas casas.

“Vivemos um momento de grande tristeza com o número de vítimas fatais que ainda pode aumentar e a quantidade de ocorrências que impactam drasticamente a nossa cidade. Unimos todos os nossos esforços e contamos com o suporte do Estado para o atendimento ágil às vítimas e recuperação da cidade”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

Choveu em Petrópolis apenas na tarde de terça-feira o volume esperado para todo o mês de fevereiro.

Diversas crateras se abriram em ruas e avenidas da cidade e o asfalto chegou a ser arrancado em alguns pontos mais afetados pelo temporal. Lojas e estabelecimento comerciais invadidos pela água da chuva e pela lama contabilizam os enormes prejuízos.

“A água subiu muito rápido e veio com muita força. Meu prejuízo foi de 100%. Nossa vida já estava bem difícil com pandemia e menos movimento e ainda vem essa tragédia. Vai ser difícil”, disse o comerciante Henrique Pereira.

O presidente Jair Bolsonaro, que está em viagem oficial à Rússia, disse no Twitter que orientou ministros a auxiliarem a cidade e as vítimas do temporal. Ele disse ter conversado com os ministros do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, e da Economia, Paulo Guedes, para garantir auxílio à cidade.

“Estamos em contato com a prefeitura e faremos todos os esforços para socorrer as vítimas. Nossa Defesa Civil Nacional está trabalhando com as defesas civis do Estado e município. Determinei a ida do secretário nacional de Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas, ao município”, disse Marinho no Twitter.

A Defesa Civil informou que ainda há previsão de chuva de fraca a moderada na cidade. Na manhã desta quarta o nível da água já havia baixado em boa parte dos municípios, mas as ruas estavam tomadas por lama e havia lixo espalhado nas vias públicas.

Desde o final do ano passado várias regiões do país sofreram com temporais que causaram mortes e prejuízos, casos, por exemplo, de cidades de Minas Gerais, Bahia e São Paulo, que tiveram tragédias recentes causadas pelos temporais.

Em 2011, um forte temporal na Região Serrana do Rio afetou Petrópolis, Teresópolis e outros municípios vizinhos deixando quase 1 mil mortes. À época, o desastre foi considerado a maior tragédia causada por um fenômeno da natureza no país.

The text, photographs, video, graphics, metadata, quotes, data, information, and all protectable intellectual property available through the this website is the property of Reuters and its licensors. It is provided by Reuters and its licensors to you for your personal use and information only. You may not use the Content or Service for any commercial purpose. You acknowledge that by accessing and using this the service, you agree to be legally bound by and hereby consent to these terms of use and the privacy policy.  Learn more in https://www.reutersagency.com/en/about/brand-attribution-guidelines/

Speak to an expert

Discover our comprehensive pictures news coverage.

By submitting your details, you are agreeing to receive communications about Reuters resources, events, products, or services. By submitting your details, you are also acknowledging that you have read and understood our: Privacy Statement.

* required field